Maldivas

Sonho de consumo de muitos casais em lua de mel, as Maldivas são muito mais do que bangalôs sobre a água e hotéis cinco estrelas. O arquipélago formado por mais de mil ilhas (e o menor da Ásia) divididas em 26 atóis no Oceano Índico possui boa infraestrutura para receber os turistas e facilidade para se deslocar entre um atol e outro. Devido à sua proximidade com a Índia, é possível notar uma grande influência do país, a começar pela moeda - rúpia maldiva -, o dialeto local (divehi), e a gastronomia, com forte presença do curry, pimenta, coco, acrescida do toque local dos peixes, visto que estamos falando de um país costeiro. Diferentemente dos indianos, a maior parte dos habitantes são muçulmanos bastante rígidos, por isso certos tipos de comportamentos são permitidos somente dentro dos resorts. Malé é a capital do país e a menor ilha do mundo, tanto é que seu aeroporto precisou ser construído em uma ilha maior ao lado (!). Além disso, um terço dos maldivianos mora na região, que merece um destaque especial por ter atividades, digamos, não tão “previsíveis” aos viajantes, como nas demais ilhas das Maldivas.
O Centro Islâmico de Malé, cuja cúpula se vê ao longe, é um marco arquitetônico das Maldivas, com uma grande mesquita, um centro de conferência, uma biblioteca islâmica e alguns escritórios. Perto dele estão o Palácio e o Parque do Sultão, sendo o primeiro a atual residência oficial do presidente, e o segundo, casa do Museu Nacional das Maldivas, detentor de uma coleção de objetos que representa um pouco da história e riqueza cultural do país. Vadhoo, uma das ilhas Raa Atoll ficou conhecida mundialmente depois que um fotógrafo tailandês divulgou fotos em suas redes sociais do chamado “mar de estrelas”, resultado de um fenômeno chamado bioluminescência. Durante a noite, criaturas marinhas minúsculas - os fitoplânctons - geram luz como um mecanismo de sobrevivência, cobrindo as águas da ilha com uma luz azul neon, o que, convenhamos, é um espetáculo à parte. Assim como em qualquer destino de praia, as atividades aquáticas em todas as ilhas são as mais oferecidas - snorkel, mergulho com cilindro, caiaque, stand up paddle, passeios de barco e muito mais. Para chegar ao país, três companhias aéreas operam o destino, que desembarcam no aeroporto de Malé; de lá, para chegar a qualquer uma das ilhas, o meio de transporte utilizado é por barco ou hidroavião, para os resorts mais distantes da capital.