Nara

A famosa cidade dos cervos

Nara foi capital do Japão por mais de setenta anos, período em que ela não somente cresceu, como enraizou fortemente uma cultura baseada em costumes da China, como a escrita, a arquitetura, o urbanismo e o budismo, tanto é que se tornou um centro budista do país, abrigando alguns dos seus templos mais antigos. Com menos de uma hora de distância de Kyoto e Osaka, é uma cidade pequena, que pode ser facilmente conhecida em apenas um dia, vista essa que vale muito a pena. Vamos começar pelo templo mais famoso de Nara, bem como uma das mais concorridas atrações turísticas do Japão, Patrimônio da Humanidade e a maior construção em madeira do mundo: Todaiji. Antigo centro de pesquisa e difusão da doutrina budista, o templo também abriga a maior estátua de Buda feita em bronze do planeta. O Grande Buda de Nara, como a estátua é conhecida, tem quase 15 metros de altura, levou 3 anos para ser construído e está instalado no pavilhão principal, sentado sobre pétalas de flores de lótus, representando simbolicamente o “mundo da iluminação” narrado nos textos budistas.

Não é somente pelo Grande Buda que Nara é conhecida, como também pelos cervos que vivem no Nara Park, semelhantes aos ilustres habitantes da Ilha Miyajima, na Baía de Hiroshima. Estima-se que mais de mil “shikás” morem no parque, perambulando pra lá e pra cá, e comendo biscoitos “sembei” (biscoito japonês feito à base de arroz). Reza a lenda que no ano de 768, uma divindade apareceu nas montanhas Mikasa montado em um cervo branco, e desde então, esses animais começaram a ser venerados como seres sagrados, tanto é que há uma associação de preservação na cidade e eles foram reconhecidos como monumento nacional. Ainda restam muitas ruas e edifícios históricos, desde a época da fundação de Nara, como o Palácio Heijo, antiga residência do imperador, e hoje um monumento aberto à visitação, bem como a área em seu entorno, que se desenvolveu como uma cidade, onde as casas artesãos e comerciantes passaram a fazer parte do chamado "Distrito Naramachi", importante destino turístico da região, por ser um antigo bairro comercial com diversos edifícios e armazéns antigos,boutiques, lojas, cafés, restaurantes e alguns museus.

Devido à forte presença a do budismo em Nara, os templos de Todaiji, de Horyuji e de Yakushiji foram registrados como Patrimônio Mundial da UNESCO, influência essa que também pode ser conferida no Museu Nacional, com um grande acervo de arte budista, como estátuas, pinturas, manuscritos e objetos cerimoniais. Do lado xintoísta, temos o Templo Kasuga, originalmente construído em 768 para proteger a cidade, demolido e reconstruído cinquenta vezes ao longo dos anos, de acordo com o costume do xintoísmo de purificação e renovação. Sua fama se deve às mais de 3 mil lanternas de pedra que margeiam o caminho até o templo, acesas somente no início de fevereiro e em meados de agosto, bem como as lanternas de bronze que compõem a decoração do seu interior, em meio aos lindos corredores vermelhos. O Jardim Isui-en, localizado próximo ao Museu Nacional, é um jardim tradicional japonês e tem ao fundo os telhados dos principais templos da cidade. Na primavera fica bastante florido com cerejeiras e azaléias, e no outono é a vez das árvores de “maple” (folha que é o símbolo do Canadá) ficarem com as folhas vermelhas.