Nagoya

O cantinho dos brasileiros no Japão

Na província de Nachi, entre Tóquio e Osaka está Nagoya, conhecida por ser um centro industrial, por isso lar de milhares de brasileiros que se mudam para o Japão em busca de trabalho e melhor qualidade de vida, compondo a população de 2,1 milhões de habitantes. Não é uma cidade turística propriamente dita, mas há diversos pontos interessantes a serem conhecidos. Na área em que está situada, ainda estão os municípios de Aichi, Seto, Nagukute e Inuyama, que se orgulham de ma cultura gastronômica única, chamada Nagoya-meshi, que consiste em costeletas de missô (pasta de soja fermentada) feitas com missô vermelho e udon (macarrão muito popular no Japão que pode ser servido de diferentes maneiras) cozido com missô, geralmente servida no café da manhã acompanhada de alguma bebida.
O passeio começa pela estação de trem, que segundo registro realizado no “Guinness Book, o livro dos recordes”, é a maior do mundo, composta por duas torres bem modernas, com um hotel em uma delas, e na outra, uma gigantesca loja de departamentos com inúmeros corredores de lojas e restaurantes até o subsolo. São vários os grandes edifícios históricos da cidade, como o Castelo de Nagoya, com um incrível “shachihoko” dourado (criatura com cabeça de tigre e corpo de peixe) fixado ao seu telhado, ao redor do qual cresceu Nagoya, e o Castelo Inuyama, com o telhado de madeira mais antigo de todo o Japão. Nagoya também tem o seu “Central Park”, porém chamado de Hisaya-odori Park, com atrativos como um rio artificial e espaços para a realização de espetáculos durante os finais de semana, compondo um total de 1200 parques públicos na cidade. O mais importante deles é o Higashiyama Park, que em seus 590 mil metros quadrados abriga um dos maiores zoológicos do Japão, um jardim botânico e uma torre de 134, de onde é possível se ter a melhor vista da cidade.
Na região central está o charmoso bairro de Sakae, onde localizam-se grandes lojas de departamento, sendo uma ótima opção para passeios; já o bairro vizinho, Fushimi, é referência da vida noturna de Nagoya, por ser bastante descolado. O Museu Toyota conta como a empresa, que iniciou suas atividades como uma tecelagem, passou para o ramo automobilístico, e hoje é uma das montadoras mais prestigiadas do mundo, com exibições bastante detalhadas, que fazem o turista querer passar o dia todo para entender tudo nos mínimos detalhes, especialmente os aficionados por carro. O templo mais famoso da cidade é o de Osu Kannon, budista da seita Shingon, construído em 1612, e que nos dias 18 e 28 de cada mês monta um mercado de pulgas ao seu redor, atraindo centenas de pessoas, assim como para os shoppings cobertos da Shontegai Osu Kannon, rua comercial com diversas lojas que vendem desde antiguidades a eletrônicos com preços bastante convidativos.