Kyoto

Reflexo da alma japonesa

Kyoto é a antiga capital imperial do Japão, e também sede de toda a alma e essência da cultura do país. Fundada em 794, foi capital do país por 11 séculos, já passou por guerras, incêndios, terremotos, e por pouco se salvou da bomba atômica: o Secretário de Guerra dos EUA era apaixonado pela cidade, e pediu para trocarem Kyoto, que encabeçava a lista, por Nagasaki; o fim dessa história, infelizmente já sabemos. A cidade não tem os arranha-céus de Tóquio, mas é bastante moderna e grande, tanto é que o melhor meio de se locomover por ela é de ônibus, uma vez que seus pontos turísticos ficam distantes uns dos outros. As principais atrações são os templos budistas e santuários xintoístas; como são muitos e a cidade é grande, a melhor forma de explorá-la otimizando o tempo é dividir o roteiro por regiões.
No centro de Kyoto está concentrado o comércio local, com as principais ruas, lojas, etc, além de algumas atrações bem antigas, como Castelo Nijo, construído em 1603, com um piso peculiar, chamado “rouxinol”, especialmente construído para que quando caminhassem por ele fizesse o mesmo barulho do pássaro. Na região central também está um dos palácios imperiais do Japão (Kyoto Imperial Palace), o mercado Nishiki, excelente para comprar cerâmicas e utensílios de cozinha; a Kyoto Station, principal estação de trem da cidade, com diversas lojas; além de Nishi e Higashi Honganji, dois enormes templos budistas japoneses, sendo o primeiro considerado Patrimônio da Humanidade por sua importância arquitetônica, objetos históricos, um pavilhão de chá e um portal chinês decorado. Ao norte está o Daitoku-ji, um complexo de templos zen budistas fundado em 1325, famoso pelas suas cerimônias do chá e jardins de pedra, bem como Kinkaku-ji, o mais famoso templo de Kyoto, chamado de “o templo de ouro”, acompanhados por mais três construções do tipo na região.
Ao leste está concentrada a maior parte dos templos da cidade, como Ginkaku-ji, Heian, Chion-in, Higashiyama, Yasaka - também chamado de templo Gion, e sede de um dos matsuris (festivais) mais conhecidos de Kyoto -, e Kyomizu-dera, o mais famoso da cidade, de pé por mais de mil anos, atraindo gente de todas as religiões para beber da água que brota de sua fonte sagrada, por isso o local também é chamado de Templo da Água Pura. Ainda é possível conferir o Caminho do Filósofo, com pedras às margens de um rio, repleto de cerejeiras, lojas, cafés e restaurantes; o Parque Maruyama, o mais popular para conferir o florescimento das sakuras; o distrito histórico Higashiyama, com ruazinhas estreitas que ligam dois dos templos da região; e o famoso bairro de Gion, local onde ficam as gueixas de Kyoto, repleto de casas de chá, pousadas, restaurantes e karaokês, sendo a maioria deles destinados apenas aos locais, e o Teatro Kaburenjo, sede do Miyako Odori, espetáculo de música e dança todos os anos apresentados por aprendizes de gueixas e gueixas de Kyoto.