Cartagena de Índias

A cidade que conquistou os brasileiros

Nos anos de chumbo da Colômbia, Cartagena das Índias permanecia como único destino turístico seguro do país. Parece que até mesmo os traficantes respeitavam a beleza da cidade na entrada do mar do Caribe. Outros bandidos do passado não respeitaram: Cartagena é uma cidade com uma bela muralha e o maior forte construído pelos espanhóis nas Américas por conta dos inúmeros ataques de piratas entre os séculos 16 e 18. Tanta proteção foi necessária porque de Cartagena escoava-se o ouro extraído da Colômbia. E a Colômbia tinha muito, muito ouro.
Para o visitante, essa riqueza do passado se traduz não apenas nas construções religiosas e militares, mas também nas casas charmosamente preservadas, com varandas em estilo mourisco. Quem leu O Amor nos Tempos do Cólera vai se lembrar imediatamente das trocas de olhares entre Firmino e Florentina pelas ruas de Cartagena. Não é de graça que as descrições locais são tão precisas: o escritor Gabriel García-Márquez, autor da obra, viveu boa parte de sua juventude na cidade e ainda tem uma casa por lá.
Além de inspirar escritores, Cartagena favorece os mais românticos com sua arquitetura colonial, seus passeios de carruagem, a abundância de flores e onipresença da música. Só não espere pegar praia – apesar de ficar à beira do Caribe, o melhor de Cartagena fica das muralhas para dentro. Uma dessas antigas construções, um convento de 1641 abriga o Sofitel Santa Clara, tido como o melhor hotel da cidade, que, além disso, oferece famosos e charmosos hotéis boutique.