Tikal

Tikal é um ponto de parada obrigatório para quem visita a Guatemala. Localizada no norte do país, a cidade abriga inúmeras e belíssimas ruínas e parques arqueológicos, que foram os principais centros políticos, religiosos e culturais da civilização maia. Um detalhe que difere Tikal das demais regiões maias do continente e as torna ainda mais enigmática é o fato de estarem “escondidas” no meio da mata. O Parque Nacional Tikal é o destaque da região, com milhares de estruturas perfeitas e curiosas, que incluem palácios, pirâmides, praças, plataformas cerimoniais e diversas outras que faziam parte do dia a dia da civilização maia.

E é exatamente esta magnífica riqueza histórica, cultural e natural que fizeram com que, em 1979, a Unesco declarasse Tikal como Patrimônio da Humanidade. E realmente isso não aconteceu por acaso. Não há exageros nas descrições. Tikal esbanja encanto, beleza e muitas curiosidades que deixam a maioria de seus visitantes “de queixo caído”. Por todos os lados que se vá, a natureza dá um verdadeiro show de cores, formatos e sons, expressos em sua abundante vegetação, repleta de ceibas, que são árvores que podem atingir 70 metros de altura, e também são chamadas de “Árvore Sagrada da Vida”; sem falar das variadas espécies animais e das surpreendentes construções feitas por uma das civilizações mais antigas e evoluídas da história da humanidade: a dos maias.

Diz a história que Tikal começou a ser construída pela civilização maia no ano 600 aC., e os principais vestígios e evidências da passagem deste povo por ali estão no Parque Nacional Tikal. Na chamada Praça Maior estão duas pirâmides, uma em frente à outra. A do lado leste mede cerca de 45 metros de altura, e abriga o Templo do Grande Jaguar, também conhecido como Templo 1. Já na pirâmide do lado oeste, que mede aproximadamente 40 metros de altura, fica o templo 2, também nomeado como Templo das Máscaras.

A entrada no Parque Nacional de Tikal encontra-se depois de passar as salas de refeição e o restaurante local. O Museu Tikal, logo bem na entrada, exibe numerosas peças de cerâmica, esculturas, peças de jade e osso, diversos objetos procedentes dos túmulos dos senhores de Tikal e uma reprodução do túmulo 116 do Templo do Grande Jaguar, entre outras coisas. Na cidade destaca-se a Casa de Banhos, a Acrópolis Central, integrada por pequenos pátios, palácios e templos, o Templo V, com 57 m de altura, com cantos redondados e desde onde pode-se obter excelentes vistas da cidade, a Acrópolis Sul, com palácios e construções provavelmente do século IX, a Praça Maior, rodeando o Templo do Grande Jaguar de 44 m de altura.

Mas, o Templo número 4 é o de maior destaque porque ele também é o mais alto do Parque. São 64 metros de altura. Após enfrentar uma belíssima escadaria de madeira para chegar ao topo, os visitantes terão uma esplêndida visão de todo o Parque Tikal. E as atrações do Parque não param por aí. Na extensão de seus quase 600 quilômetros quadrados também há restaurantes, cafés, museus e lojas de souvenirs. Além disso, há algumas boas opções de hospedagem pelas proximidades, mais especificamente na cidade de Flores, que fica a cerca de 50 quilômetros dali. Vale a pena incluir no roteiro de viagem e ir até lá para conferir.