Havana

Havana foi considerada uma das sete cidades mais bonitas do mundo em junho de 2016. E não é à toa, pois é um lugar único onde tantas cores se sincronizam entre fachadas e carros antigos com uma harmonia peculiar, proporcionando ainda a sensação de passear por um filme clássico dos anos 50. Muito mais do que uma cidade histórica, Havana é referência da arte e cultura de seu país e tem uma atração em cada esquina, atendendo a todos os gostos. Museus, praças, construções e monumentos históricos, restaurantes, bares, praias, marinas internacionais, atividades ecoturísticas e até clubes de golfe fazem parte do que Havana oferece a seus visitantes, mas caminhar pelas ruas de Havana sem provar as bebidas típicas é praticamente impossível diante da quantidade de ofertas que serão recebidas. A cultura do rum é tão forte que o Museu do Rum é um dos lugares mais procurados pelos turistas no país. Inaugurado no ano 2000 o museu mostra toda a cadeia de produção do rum e ainda oferece a degustação do autêntico rum cubano ao final da visita. Os drinks típicos, tão apreciados por Ernest Hemingway têm até bares de preferência do escritor, como sugestão para os turistas: “Mi mojito en La Bodeguita, mi daiquiri en El Floridita” – diz a famosa frase ostentada na parede do bar La Bodeguita Del Medio. Famosa também pelos melhores charutos do mundo, Havana conta com cerca de 25 lojas de venda oficial de charutos (Casa Del Habano) que ficam geralmente nos saguões de grandes hotéis, além dos diversos vendedores de rua que estão sempre a oferecer charutos, às vezes sem marca, para os turistas.

Com um clima que varia entre os 20° C e os 30° C, localização privilegiada, musicalidade e cultura animada, Havana convida os visitantes a aproveitar a vida. Estendendo-se por toda a costa, Havana exibe belas praias, como a Playa Del Este e Santa Maria Del Mar, que contrastam com seus imponentes edifícios de pedra e outros edifícios de tão diferentes estilos arquitetônicos. No final da tarde, nada como apreciar o pôr-do-sol em Malecón, a varanda de Havana sobre o mar. O Malecón é um passeio de 4 quilômetros que leva o visitante de Havana Velha – onde se encontra o centro histórico da capital (declarado Patrimônio Mundial da Unesco) – até a parte mais moderna da cidade. Neste caminho há centenas de prédios coloniais. Muitos deles são restaurantes com verdadeiras varandas onde se pode sentar e beber um Mojito enquanto o sol se põe sobre o mar. Ao anoitecer, nada como aproveitar a animada vida noturna de Havana ao som de mambo, bolero, salsa ou chachachá em um dos diversos bares espalhados pela cidade. Outro bom ponto para se contemplar a cidade é o Castillo Del Morro; na mesma colina também está a Fortaleza de La Cabana, de onde todos os dias às 21h são disparados tiros de canhões, no chamado Canonazo de las Nueve, cerimônia que antigamente indicava o fechamento dos portões.

Uma das melhores maneiras de se conhecer Havana Velha é a pé, e em sua caminhada o Passeio Del Prado é passagem obrigatória. A avenida mais chique da cidade tem seus belos exemplos de arquitetura colonial, leões de bronze e bancos de mármore. Ainda no caminho por suas ruas e vielas de pedra, chega-se à Plaza de La Catedral, um dos maiores símbolos da cidade, onde se encontram a Catedral de São Cristóvão, considerada uma das igrejas mais bonitas da América, e o Museu de Arte Colonial. Continuando a caminhada, a Plaza de Armas é uma das mais conhecidas de Cuba e proporciona um deslumbrante cenário da cidade. Nela ficam o Castillo de la Real Fuerza, o Palácio de Los Capitanes Generales (que hoje é o Museu de la Ciudad) e o Hotel de Santa Isabel, além de abrigar também feiras de antiguidades. O Capitólio – réplica da Casa Branca, apesar de ter sido inspirada no capitólio de Paris – marca o centro da cidade ou marco zero, e fica no Parque Central. Ao redor dele se encontram os hotéis mais requintados e clássicos de Havana, como Hotel Inglaterra, que foi base da conspiração da revolução, e o Hotel Plaza, por onde passaram celebridades como Albert Einsten. Na Praça da Revolução pode-se encontrar o Museu da Revolução, antiga residência de diversos presidentes e hoje apresenta fotos, esculturas e documentos que contam a história de Cuba em um prédio Neo Clássico, decorado pela Tiffany de Nova Iorque. Na praça, que é a maior de Cuba, Fidel fazia seus discursos. Ela abriga o Memorial de Jose Marti (ponto mais alto da cidade e que oferece uma visão privilegiada), e dois prédios onde estão estampados os rostos de Che e Camilo Cienfuegos.

A partir de R$ 1.249,00

A partir de R$ 1.928,00