Dois lados em uma única cidade

Além de ser a terceira maior cidade da Rússia, Kazan teve três personagens-chave que nasceram, viveram ou estudaram nela – Tolstói, Lênin e Fedor Chaliapin, sem falar no seu primeiro czar, Ivan, o Terrível, que arrasou cidades, matou milhares de pessoas, mas também fez do país uma nação moderna, e semente para o grande império mundial que é hoje. A região conta com uma grande lista de atrativos para quem quer fugir do circuito tradicional de turismo, a começar pelo Kremlin Tartaristão, Patrimônio Mundial da Humanidade pela UNESCO, que diferentemente dos de Moscou e Novgorod, abriga a Igreja da Anunciação e a Mesquita de Kul-Sharif no mesmo espaço, representando bem a dicotomia que vive a cidade, que além de ter monumentos cristãos e muçulmanos, também é dividida em duas partes: Kazanskiy Posad, localizada na colina, onde moram os russos; e Tatarskaya Sloboda, região dos tártaros, situada às margens do rio Volga, resultando em dois idiomas oficiais. Voltando ao Kremlin, esse equivale a uma pequena cidade de 15 hectares e quase dois quilômetros de muralhas que chegam a 12 metros de altura, com torres, museus, templos, academias e edifícios oficiais.
Do lado de fora, a torre de Syuyumbike, comparada à de Pisa, por também ser inclinada, mas em proporções bem menores: essa tem apenas dois metros de inclinação, além dos seus 56 metros de altura, de onde é possível ver toda a região até o rio Volga. E não só a semelhança com a torre da Itália que atrai turistas ao monumento; há uma lenda que diz que Ivan, o Terrível, após ter derrotados os tártaros, quis se casar com uma bela jovem da cidade, que aceitou a proposta, mas colocou como condição a construção de uma torre mais alta que qualquer mesquista da região. A moça não esperava que Ivan concluísse a obra em uma semana, e assim que ficou pronta, subiu até o alto da torre e pulou, tendo seu nome atribuído à construção. A Rua Bauman começa às margens do Rio Kazanka e termina em uma praça que leva o relógio mais famoso de Kazan, além de abrigar os melhores restaurantes da cidade, lojas, mansões e teatros, todos sob a arquitetura czarista do início do século XX. Outro ponto turístico importante é o Templo de Todas as Religiões, complexo que inclui vários tipos de construções religiosas - igreja ortodoxa, sinagoga e mesquita - e funciona como um centro cultura.
Foi concebido por um artista local, Ildar Khanov, mas não promove nenhum tipo de culto, apenas tem como propósito levar a ideia de fé e convivência cultural. Além disso, em Kazan está um dos museus mais interessantes de toda a Rússia, o Museu do Estilo de Vida Soviético, que reúne em um espaço compacto e curioso diversos objetos da época soviética, que durou quase 70 anos no país, como brinquedos, roupas, acessórios e utensílios. O Centro da Família de Kazan, construído em 2013 para recepções de casamentos, lembra uma taça e fica próximo ao Volga; se do lado de fora já é uma visão e tanto, de dentro é possível ter uma linda vista panorâmica da cidade. Por estar muito próxima à Sibéria, Kazan é uma das paradas da rota Transiberiana, com início em Moscou e terminando em Vladvostok. A rota inteira tem 9259 km de extensão e leva 6 dias, 5 horas e 19 minutos para ser completada de trem. Construídos recentemente, o Palácio da Agricultura e o Teatro de Marionetes dividem o título de edifício mais imponente da cidade; para quem gosta de futebol, o estádio do time local, Rubin Kazan, que será palco para diversos jogos da Copa do Mundo em 2018, é parada obrigatória, e para os amantes da gastronomia, o mercado municipal é praticamente uma perdição, tamanha a variedade de iguarias presentes no local.