Alentejo

Grande em extensão e belezas naturais

O Alentejo é a região de maior superfície de todo Portugal, cativante e com paisagens de grande beleza, caracterizadas por planícies repletas de flores silvestres e girassóis, que por muitos anos fizeram com que a região fosse chamada de “celeiro de Portugal”, colinas, vinhedos e quilômetros de praia com águas cristalinas, tendo algumas inclusive na lista das melhores do país. Nas suas terras está um forte legado de tempos e civilizações passadas, com rico patrimônio, do qual se destacam impressionantes castelos, igrejas, fragmentos de construções romanas e até mesmo gravuras da era paleolítica. Abrange os municípios dos distritos de Beja, Évora, Portalegre, bem como uma parte dos municípios de Santarém e Setúbal. O Alentejo tem muito para contar, em um lugar onde impera a paz de espírito e tranquilidade.
Beja, capital do Baixo Alentejo, é um importante centro da produção de trigo e produtos derivados da oliveira, essenciais para o desenvolvimento do concelho, que tem diversos pontos turísticos, como as ruas estreitas da parte velha da cidade, a torre de menagem, a Igreja de Santo Amaro, o Convento de São Francisco, as ruínas da villa romana de Pisões, entre muitas outras. É imprescindível um passeio de barco pelo rio Guadiana, presença constante no distrito de Beja, assim como uma visita a Alcoutim, Mértola e Serpa, locais mais turísticos do distrito. Basta conhecer Évora para constatar porque há muito foi classificada Patrimônio Mundial da Humanidade: a parte entre muralhas conserva bastantes traços dos seus tempos mais antigos, incluindo monumentos de várias épocas, como o Templo Romano e igrejas como a de São Francisco, com a célebre Capela dos Ossos, a Biblioteca Pública, o Palácio de D. Manuel, a Praça do Giraldo, entre outros monumentos.
A riqueza da flora e fauna são responsáveis pela denominação de Parque Natural a Portalegre, um local aprazível para a realização de caminhadas na natureza, que conta com a presença de megalitos, como os Cromeleque dos Almendres e Monsaraz, indicando que a região foi povoada em tempos pré-históricos. Apesar da origem romana, o distrito tem belas construções dos períodos barroco e renascentista, como a Sé Catedral, o Museu Municipal e a Casa-Museu José Régio, além de vilas consideradas as mais bonitas do país, como é o caso de Marvão - situada na escarpa da Serra de São Mamede -, Crato, Alter do Chão, Elvas e Castelo de Vide, onde memórias do passado perduram em antigas judiarias. É impossível passar do norte ao sul sem explorar o litoral, com pequenas praias, sendo muitas são ideais para o surf. Os aromas de campo também estão presentes aqui, com o cheiro de ervas temperando peixes, mariscos e outros pratos regionais à beira-mar, que harmonizam perfeitamente com os excelentes vinhos da região.